segunda-feira, 29 de maio de 2017

"A GUIA DE UM CEGO PODE SER OUTRO CEGO?"


A guia de um cego não pode ser outro cego, pois bem, alguns cegos são aquele a que muito vê por aro de peneira!

«TRANSPORTE PÚBLICO» AUTOCARROS DA TRANSÁFRICA INICIAM CARREIRAS INTERNAS EM BISSAU


Bissau,29 Mai 17(ANG) – Os autocarros da empresa Transáfrica GB SARL, iniciaram no Domingo as suas carreiras regulares de transporte de pessoas na capital Bissau.

Em declarações à imprensa no acto do lançamento oficial, o administrador da empresa Transáfrica GB, António Rodrigues Soares disse que, com a nova dinâmica imposta pela Direcção Geral da Viação e Transportes Terrestres, “conseguimos, de facto, que isto se torne uma realidade o que está a acontecer neste momento”.

A empresa Transáfrica foi constituída no Notariado do Tribunal de Bissau em 6 de Maio de 2004 e está legalizada há mais de 13 anos.

“Nós transportamos milhares de guineenses por mês nos nossos circuítos inter urbanos e somos conhecidos por nossos clientes há muitos anos”, informou.

António Rodrigues Soares sublinhou que este é mais um serviço que pretendem fazer para servir a população neste caso os citadinos de Bissau, acrescentando que esperam ter apoios dos citadinos da capital.

Perguntado sobre quantos autocarros pretendem colocar no circuito urbano de Bissau, o administrador da empresa Transáfrica disse que o projecto inicial previa um total de sete autocarros.

“É contudo uma primeira fase inicial porque acho que temos que fazer esse trabalho como temos feito sempre respeitando as pessoas que existem e em benefício da população e com muita prudência”, afirmou.

Em relação aos preços a praticar, o administrador da Transáfrica sublinhou que vão em conformidade com a tabela em vigor e oficial, porque só compete ao governo da Guiné-Bissau elaborar os tarifários.

“A tarifa legal em vigor actualmente é de 147 francos para os transportes públicos toca-tocas e autocarros num circuito do Aeroporto/Matadouro o que redonda os 150 francos”, disse.

Instado a dizer sobre se não existem casos de excepção para os idosos, dificientes, estudantes e militares, António Rodrigues Soares respondeu que estão a iniciar a carreira, acrescentando que é evidente que no futuro terá que passar mediante negociações com o governo que eventualmente entrará com uma comparticipação junto da empresa. 

Conosaba/ANG/ÂC/SG

JULGAMENTO DO BUBO NA TCHUTO FOI ADIADO 'SINE DIE' POR "AUSÊNCIA DE ALGUNS SUSPEITOS"

Foto/radiosolmansi

O julgamento do contra-almirante Bubo Na Tchuto e de mais 50 suspeitos por alegado envolvimento na tentativa de golpe de Estado na Guiné-Bissau em dezembro de 2011 começou hoje no Tribunal Regional de Bissau.

No final da sessão, fechada ao público, o advogado do antigo chefe da Armada guineense, Joãozinho Vieira Có explicou que a próxima sessão do julgamento foi adiada 'sine die' por "ausência de alguns suspeitos".

"Vão fazer diligências para marcar novas datas", afirmou.

A acusação de tentativa de golpe de Estado foi feita pelo Estado-Maior General das Forças Armadas guineense.

Nas declarações aos jornalistas, no final da sessão, o advogado afirmou também que o cliente está de "consciência tranquila".

"Quem não deve, não teme. Sempre foi um homem do povo", salientou.

Bubo Na Tchuto regressou em outubro de 2016 à Guiné-Bissau, depois de ter estado cerca de quatro anos detido nos Estados Unidos por tráfico de droga.

Bubo Na Tchuto foi detido a 04 de abril de 2013, em águas internacionais ao largo de Cabo Verde, numa operação de combate ao tráfico de droga liderada pelo Departamento Antidroga dos Estados Unidos (DEA).

Na sequência da alegada tentativa de golpe de Estado em dezembro 2011, as autoridades guineenses qualificaram o ato como "inventona".

O termo é comummente utilizado em Bissau para referir falsas acusações de tentativa de golpe de Estado.

Conosaba/Lusa

CHEFE DA DIPLOMACIA ANGOLANA CONFIRMA QUE PR RECEBE TRATAMENTO MÉDICO EM ESPANHA


O chefe da diplomacia angolana confirmou hoje que o Presidente da República recebe habitualmente tratamento médico em Espanha, onde se encontra a ser tratado há quatro semanas.

Em entrevista telefónica a um programa da emissora de rádio francesa RFI, o ministro das Relações Exteriores de Angola, Georges Chikoti, não especificou o tipo de tratamento que José Eduardo dos Santos recebe em Espanha e não confirmou que o Presidente tenha sofrido um AVC, como refere alguma imprensa em Portugal e Angola.

Contudo, esta foi a primeira vez que um membro do Governo angolano confirmou oficialmente que o chefe de Estado recebe tratamento médico em Espanha, para onde viaja desde pelo menos 2013, regularmente, várias vezes por ano.

"Está tudo bem. Mas sabe, na vida, isso acontece com todos nós em algum momento, não nos sentirmos totalmente bem. Mas ele está bem. Está em Espanha e quando ficar melhor vai regressar", disse o ministro angolano, em entrevista para um programa sobre os conflitos étnico-políticos na vizinha República Democrática do Congo.

Alguma imprensa em Portugal e Angola tem referido insistentemente nas últimas semanas que José Eduardo dos Santos, atualmente com 74 anos, terá sofrido um Acidente Vascular Cerebral (AVC) já em Espanha e chegou a ser criada uma página na rede social Facebook dando conta da morte do Presidente angolano.

No entanto, na mesma entrevista, Georges Chikoti não confirma qualquer problema de saúde grave com José Eduardo dos Santos, chefe de Estado desde 1979.

"Não, eu não confirmo [AVC]. Mas o presidente dos Santos faz regularmente as suas consultas e os seus tratamentos em Espanha, por isso é perfeitamente normal que ele esteja lá", disse o ministro angolano.

Face aos insistentes rumores sobre o agravamento do estado de saúde de José Eduardo dos Santos, alguns partidos da oposição angolana vieram a público exigir uma clarificação oficial sobre o assunto.

José Eduardo dos Santos deslocou-se a 01 de maio a Barcelona, Espanha, para uma visita privada, informou na altura a Casa Civil da Presidência da República, não tendo sido divulgada ainda qualquer informação sobre o seu regresso ao país.

Na nota distribuída então à imprensa, a Casa Civil da Presidência da República referia que o chefe de Estado angolano havia interrompido a sua estadia naquele país, em novembro de 2016, na sequência do falecimento, por doença, do seu irmão mais velho, Avelino dos Santos, ocorrida na África do Sul.

Antes desta viagem, José Eduardo dos Santos convocou, por decreto presidencial de 25 de abril, as eleições gerais em Angola para o dia 23 de agosto próximo, que servem para eleger, além dos deputados à Assembleia Nacional, também, por via indireta, o novo chefe de Estado, eleição à qual já não concorre, após quase 37 anos no poder.

A empresária Isabel dos Santos desmentiu a 13 de maio notícias sobre o agravamento do estado de saúde do pai, o Presidente angolano José Eduardo dos Santos.

A posição foi assumida em duas mensagens que a empresária e presidente do conselho de administração da petrolífera estatal angolana Sonangol colocou, como faz habitualmente, na sua conta na rede social Instagram.

Numa destas mensagens, Isabel dos Santos questiona "com que propósito continuar a insistir em divulgar notícias falsas sobre a saúde do #PRAngola", ilustrando-a com a imagem "Notícias Falsas".

O portal angolano Maka Angola, do jornalista Rafael Marques e visado na mensagem de Isabel dos Santos, escreveu que o estado de saúde do Presidente José Eduardo dos Santos "está a causar, atualmente, grande apreensão entre as figuras cimeiras do MPLA", partido que governa Angola desde 1975.

Oficialmente, e como tem sido habitual em rumores semelhantes que já surgiram anteriormente, a Presidência da República e o próprio partido que José Eduardo dos Santos lidera desde 1979 não comentam estas informações, sobre o estado de saúde do chefe de Estado.

Conosaba/Lusa

domingo, 28 de maio de 2017

SILVESTRE GOMES Mami

«OPINIÃO» AS DECLARAÇÕES DO DIRIGENTE DO PRS NUMA DAS LOCALIDADES DE CONTUBOEL NO LESTE DA GUINÉ-BISSAU. PASMA-ME!... JUSTINO SANCHES CORREIA - BOLAMENSE


Estas declarações, visa, preocupações, atinentes as sanções internacionais que eventualmente, virá, recair per se, num país pobre e nas suas populações; dependente dos esforços de contribuições e de impostos dos cidadãos da comunidade internacional para ajuda à Guiné-Bissau. Todos empenhamentos de diversos setores da comunidade internacional e da sociedade civil da Guiné-Bissau caíram em saco roto, sem consciências dos fatos, que daí resultarão se as mesmas forem aplicadas.

 A Guiné-Bissau, sem condições sem estruturas e nem infraestruturas por causa do seu próprio PARTIDO, inviabilizando séries de iniciativas que vinham sendo implementada para resolução; de ultrapassarem a caótica situação do nosso país, foi em vão.

Ora, juntando com desertores e detratores, vindo de outra ala […]  instrumentalizado para dai, extraírem alguns benefícios, deixando o país à deriva, há alguns anos a esta parte. Pasma-me!... As suas declarações.
Foi triste, deixando o país no stau quo, ostentando, ingloriamente, a facha da república para que servem?!...

A paciência da comunidade internacional, pensa, chegou o momento de assunção da sua responsabilidade, dizendo basta!...

É uma vergonha!...  não têm vergonhas do que se passam nos outros países, nomeadamente, dos PALOP, estão a trabalhar, dia após dia; mudar a face dos seus países, a Guiné-Bissau, nada alterou.

…… estão fartos e cansados da mesquinhez do dito deputados da Nação.

Não poderão, resguardarem de que o nosso País é soberano, em que?... está dependente, inclusivamente, de dádivas de exterior e de parceiros bilaterais. (Alguns dizem os nossos amigos, em que?). Da escola?... de infância?.... do bairro?... (Pareceu-me; não há almoços e nem jantares grátis). Ilustram, óbvio, que o nosso país está a ser hipotecado para geração futura, sem saberem o contorno da situação.

Não poderão a afirmar pela rádio; de que oiço, por aí, que o nosso POVO é pacífico! Saberão o que vão nas suas almas?... Cuidado com declarações infundadas.

Aposto na nova geração dos intelectuais guineenses, o nosso PAÍS está a sua espera, sem desfraldarem os que tombaram os que desapareceram nas prisões de Bissau, Ilhas das galinhas-Guiné, e Tarrafal (Cabo Verde), os que foram mortos na calada da noite e fuzilados merecerem ser honrados estes dignos e ilustres homens das nossas terras. Terão que mudar o rumo da nossa história e entrar na senda do desenvolvimento e acabarem com nepotismo  corrupção e os carrascos serem levados a justiça.

Pelo que, exercendo neste espaço o seu direito cívico e de cidadania.
Até sempre!

POR: JUSTINO SANCHES CORREIA
                BOLAMENSE

Portugal, 27 de maio de 2017

GOVERNO JÁ DISPÕE DE MAIS DE 01 BILIÃO DE FRANCOS CFA PARA PAGAR DÍVIDAS DE EDUCAÇÃO E SAÚDE



O Ministro da Economia e Finanças afirmou sexta-feira em Bissau que, já disponibilizaram Mais de um bilião e setecentos milhões de francos para os sectores da educação e saúde.

João Aladje Mamadú Fadia articulava após a reunião com o Fundo Mundial Internacional sobre perspectivas económicas e regionais da África subsariana.

O governante garante que o montante vai servir para os pagamentos de todos os atrasados no sector da educação e subsídios de velas para a saúde.

Óscar Melhado, representante do FMI no país disse que a um crescimento frágil na África subsariana, mas reconhece que isso não deve ser motivo de pessimismo, apontando as políticas evidentes para relançar o crescimento económico.

Conosaba/Notabanca