quinta-feira, 23 de novembro de 2017

«VERGONHOSO..EM PLENO SÉCULO 21!» NEGROS LEILOADOS 435 EUROS NA LÍBIA


Os leilões clandestinos de seres humanos estão ocorrendo uma ou duas vezes por mês na Líbia, não muito longe da capital, Trípoli. Os migrantes "negros" da África subsaariana são cedidos por contrabandistas por somas variando de 500 a 700 dinares líbios (até 435 euros). Aqui está o que acontece agora com muitos migrantes que transitam pela Líbia para chegar a Itália, porta de entrada para a Europa.

É hora de fazer isso parar! Em 2017, isso não deve ser possível, um retorno à barbárie é inaceitável! Assine esta petição para convidar todas as autoridades competentes para libertar todos os presos, punir os traficantes e encontrar uma solução viável para essa migração desesperada da juventude africana!

https://www.change.org/p/united-nations-stop-au-traffic-humain-de-migrants-africains-en-lybierecruiter=836988432&utm_source=share_petition&utm_medium=facebook&utm_campaign=share_page&utm_term=share_page


Stop au trafic humain de migrants africains en Lybie

Des ventes aux enchères clandestines d’êtres humains se dérouleraient une ou deux fois par mois en Libye, non loin de la capitale, Tripoli. Des migrants "noirs" d’Afrique subsaharienne sont cédés par des passeurs pour des sommes allant de 500 à 700 dinars libyens (jusqu’à 435 euros). Voici ce qui arrive désormais nombreux migrants qui transitent par la Libye pour gagner l’Italie, porte d’entrée en Europe.

Il est temps de dire stop ! En 2017 ceci ne devrait pas être possible, un retour à la barbarie est inacceptable ! Signez cette pétition pour interpeller toutes les autorités compétentes pour libérer tous les captifs, punir les trafiquants et trouver une solution viable à cette migration du désespoir de la jeunesse Africaine !

ENG LÊS 

Clandestine auctions of human beings are taking place once or twice a month in Libya, not far from the capital, Tripoli. "Black" migrants from sub-Saharan Africa are ceded by smugglers for sums ranging from 500 to 700 Libyan dinars (up to 435 euros). Here is what happens now to many migrants who transit through Libya to reach Italy, gateway to Europe.
It's time to make it stop! In 2017 this should not be possible, a return to barbarism is unacceptable! Sign this petition to call on all the competent authorities to release all captives, punish traffickers and find a viable solution to this desperate migration of African youth!

JOÃO LOURENÇO HOJE NA ÁFRICA DO SUL PARA PRIMEIRA VISTA DE ESTADO


O Presidente de Angola, João Lourenço, inicia hoje uma visita de Estado à África do Sul, para reforço de cooperação bilateral, como salientou a Presidência da República sul-africana.

Na visita de Estado, a primeira de João Lourenço desde que tomou posse em setembro, prevê-se que possa ser assinado um acordo recíproco para supressão de vistos em passaportes ordinários, à semelhança do entendimento assinado na semana passada entre Angola e Moçambique.

As autoridades sul-africanas começaram a informar os postos consulares e de fronteira que os cidadãos angolanos portadores de passaportes ordinários deixam de estar obrigados à emissão de visto prévio para entrar no país a partir de 01 de dezembro.

Conosaba/Lusa

«OPINIÃO» 'AS INCOERÊNCIAS DE OCTÁVIO LOPES' - DR GERALDO MARTINS

Em posts que vem publicando na sua página do facebook, Octávio Lopes argumenta que a democracia interna no PAIGC está em risco, na sequência da aprovação pelo Comité Central do Guião para a realização das Assembleias de Base e das Conferências de Secção, de Sector e de Região, no âmbito da preparação do IX Congresso do Partido.


O que Octávio Lopes basicamente contesta é o método de eleição dos membros dessas estruturas e dos delegados às conferências, baseado na votação pública e em listas nominais solidárias.

O método de eleição adoptado pelo Guião e aprovado pelo Comité Central baseia-se na alínea g) do artigo 5º dos Estatutos do PAIGC, cuja redacção é a seguinte:

“Eleição dos restantes órgãos colegiais a nível da Região, do Sector, da Secção e da Base, em listas nominais solidárias, mediante votação pública das respectivas assembleias”.

Esta disposição diz claramente que a votação é pública. Octávio Lopes quer que a votação seja secreta, não se percebendo muito bem porquê. Se se consagrasse o princípio da votação secreta, haveria uma flagrante violação dos Estatutos do PAIGC.

A alínea g) do artigo 5º também dispõe que a votação faz-se por meio de listas nominais solidárias. Lista solidária não significa lista única. O princípio democrático está salvaguardado pela votação da Assembleia da lista proposta por consenso entre os participantes, a qual, se chumbada, força uma lista alternativa.

Há no posicionamento de Octávio Lopes várias incoerências:

Em primeiro lugar, Octávio Lopes faz parte dos 203 membros do Comité Central que votaram favoravelmente (por unanimidade) as Resoluções que adoptaram o Guião. Se não concordasse com uma disposição essencial do Guião que, segundo afirma, põe em causa a democracia interna no Partido, não devia ter votado favoravelmente essas Resoluções.

Em segundo lugar, Octávio Lopes foi acérrimo defensor dos presentes Estatutos do PAIGC, tendo no VIII Congresso em Cacheu votado pela sua manutenção, quando foi apresentada uma proposta de revisão que acabou por ser chumbada. Não se percebe como é que hoje critica a aplicação dos mesmos Estatutos que ele mesmo quis.

Mas mais grave, é que a preocupação com a morte anunciada da democracia interna no PAIGC nos parece estranha por parte de alguém que num passado recente pautou a sua actuação política por actos que feriram a democracia interna no partido e os valores democráticos pelos quais diz hoje estar a lutar.

Com efeito, foi Octávio Lopes quem em 2013 forçou assinaturas para assaltar a direcção da bancada parlamentar do PAIGC e aí ser escolhido por uma semana como líder de bancada à revelia das regras democráticas. Foi também o mesmo Octávio Lopes que, desde 2015, se aliou ao golpe palaciano de José Mário Vaz para colocar ilegal e injustamente o seu próprio partido, vencedor das eleições legislativas de 2014, na oposição.

É interessante registar como Octávio Lopes e alguns defendem a unidade interna no PAIGC para o regresso do partido ao poder, depois de o terem empurrado para a oposição.

A cultura da indisciplina e da desordem tem os seus dias contados no PAIGC. O novo desafio é as pessoas aprenderem a viver dentro da lei e da ordem, expurgando dos seus espíritos a conspiração e os golpes baixos.

O PAIGC hoje é um partido unido e coeso que aplica escrupulosamente os seus Estatutos e cujas principais decisões políticas são tomadas pelos seus órgãos legítimos, através de votações livres dos seus membros. Pretender defender o contrário é uma tentativa de lançar dúvidas na cabeça das pessoas para disso se fazer algum aproveitamento com fins obscuros.

Bissau, 21 de Novembro de 2017


Conosaba/faladepapagaio

«OPINIÃO» "Depois dos Júniores foi a vez dos seniores' - DR OCTÁVIO LOPES


Num primeiro artigo insultuoso não assumido e num segundo assumido por Geraldo Martins, este tenta explicar o inexplicável, optando por uma abordagem pessoal - refere o meu nome 10 vezes - num estilo deselegante que não lhe é habitual.

Embora lhe reconheça competência e muita valência o agora Camarada compreenderá e certamente não me levará a mal que não discuta princípios e regras de exegese ou hermenêutica jurídica consigo, mas deixo-lhe um apontamento sobre interpretação.

A técnica interpretativa ensina-nos que uma boa interpretação não pode conduzir ao absurdo... Interpretar os estatutos de um partido democrático de forma que conduza a um resultado anti-democrático ou melhor a um resultado que mine e fira de morte os fundamentos da própria democracia (direito de votar e ser eleito/voto livre e secreto) é um grande absurdo!

A actual direcção do PAIGC foi eleita em listas concorrentes e com voto livre e secreto. Se esta prática é “uma flagrante violação dos Estatutos” como diz o agora Camarada, então devemos concluir que a eleição da actual direcção foi ilegal e por conseguinte anulável?!.. Haja paciência!

PS: Pergunte ao Camarada Presidente do nosso Partido se eu votei a favor do Guião que introduz as praticas do regime que dizemos estar a combater na Guiné Bissau.

# No bai... Militantes i ka lixo! “ O. Lopes


Conosaba/faladepapagaio.

«ESPANHÓIS» MÉDICOS VOLUNTÁRIOS CHEGAM A BISSAU


Uma equipa médica espanhola chega brevemente ao país para consultas grátis nas áreas de cirurgia, oftalmologia, ginecologia e anestesia. A equipa médica é voluntária

Na conferência de Imprensa desta quarta-feira, o representante da Equipa Medica, Victor Gomes Borges, confirma que os médicos garantiram que pode fazer consultas grátis durante duas semanas.

Segundo Victor desde o ano passado que estão a fazer corredores para a vinda dos médicos nos hospitais privados e públicos mas só no final deste ano que foi possível através de oficiais militares que manifestaram a vontade.

“O Hospital Militar aceitou receber os médicos que vão efectuar consultas”, explica.

Para o Director do Hospital Militar, Quinhin Nantote, os pacientes que se apresentam para as referidas consultas têm primeiro que submeter aos exames normais consoante o habitual tarifário.

Ele explica ainda que os exames a serem cobrados estão ligados a logística do próprio hospital. 

“O hospital vai começar a receber pessoas para consultas a partir de amanhã (quinta-feira, 23). Neste quadro o hospital também vai beneficiar das matérias de diagnósticos”, afirma.

Também a Rádio Sol Mansi sabe que as inscrições para possíveis consultam começam neste 23 de Novembro.

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Bíbia Mariza Pereira/radiosolmansi com Conosaba

FUNDO GLOBAL VAI INVESTIR 30 MILHÕES DE EUROS PARA COMBATE A SIDA, PALUDISMO E TUBERCULOSE NA GUINÉ- BISSAU


O Fundo Global contra Sida, Tuberculose e Paludismo irá investir 30 milhões de euros para o triénio 2018-2020 em benefício da população guineense cujo objectivo é combater as três doenças acima referida e fortalecer o sistema de saúde.

Deste montante, o programa de paludismo vai absorver 16 milhões de euros e os programas de VIH/ sida e tuberculose 13 milhões dos quais 2 milhões serão investidos em reforço de sistema de saúde.

A cerimónia do lançamento da subvenção foi presidida pelo ministro de saúde que na ocasião afirmou que este acto vem marcar um ponto alto na cooperação entre Guiné-Bissau e Fundo Global para luta contra o paludismo, tuberculose e VIH/sida. “ O esforço despendido pelo governo guineense e reforçado pelo fundo global no combate a essas doenças já levaram registos de assinaláveis sucessos tendo-se vindo a registar uma redução progressivas tanto de aparecimento de novos casos como os óbitos provocados por essas doenças”, reconhece o ministro. 

Para o representante residente do PNUD no país, David Mclachlan-Karr a assinatura desta convenção representa um contributo importante no esforço da Guiné-Bissau para a realização de agenda 2030 sobre objectivos de desenvolvimento sustentável, “ um compromisso assumido pelos líderes mundiais. Estas subvenções vão particularmente contribuir para o objectivo 3 que é de assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos em todas as idades de forma a acabar com as mortes evitáveis de recém-nascidos e crianças com menos de cinco anos de idade e para acabar com a epidemia de paludismo até 2030”, sustentou.

Entretanto, o responsável do fundo global para GB Joshua Galjour reconheceu que os resultados da luta contra o paludismo são simplesmente extraordinários porque segundo disse, desde 2012, observam uma diminuição da prevalência de 83% entre crianças de menos de cinco anos e de 90% entre os mais de cinco anos, assim como a utilização de mosquiteiros impregnados de 81%.

Segundo os dados do PNUD, VIH/ sida representa a terceira causa de mortalidade e incapacidade com uma prevalência de 3,3 % maior do que nos países vizinhos.

Por: Nautaran Marcos Có/radiosolmansi com Conosaba do Porto

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

NUTRIÇÃO PASSA A CONTAR DAS PRIORIDADES DA AGENDA NACIONAL NA GUINÉ-BISSAU



Programa Mundial Alimentar, PMA, está envolvido na iniciativa do Ministério guineense da Saúde Pública. Dia Nacional de Nutrição destaca ausência de informação sobre boas práticas como razão da desnutrição no país.

O Sistema das Nações Unidas congratula-se com o fato de a nutrição passar a constar como uma das prioridades da agenda nacional da Guiné-Bissau e apela aos guineenses, cada um na sua área de influência, a redobrarem esforços para a promoção da boa nutrição, tendo em vista um futuro melhor. O Dia Nacional de Nutrição será celebrado a 18 de Novembro.

ODS número 2

Considerações do representante adjunto do Secretário-geral das Nações Unidas foram proferidas no ato comemorativo de 18 de novembro, instituído, pelo governo, no Dia Nacional de Nutrição. A parceria envolve o Programa Mundial Alimentar, PMA, e está alinhada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Para David McLachlan-Karr, o país pode continuar a contar com o apoio da ONU para o combate à desnutrição, à diminuição de nanismo e emagrecimento severo.

" No quadro da Plataforma Nacional do Movimento SUN, «Scaling up Nutrition» à qual aderiram diferentes agências do Sistema das Nações Unidas vamos continuar ao lado do governo da Guiné-Bissau no combate a todas as formas de má nutrição seja ela visível como o são: a desnutrição e a obesidade ou invisível como: a carência em micronutrientes".

Diabetes e Cancro

Além dos problemas de desnutrição grave, o sobrepeso e a obesidade já começam também a se manifestar na população guineense, frisou o também coordenador do Sistema das Nações Unidas. Segundo o responsável, os problemas exigem medidas urgentes devido suas implicações em doenças crónicas degenerativas.

"O duplo fardo significa que o problema que o país encontra não é escassez de alimentos por si, mas como alimentar famílias considerando aspetos nutricionais, valores de cada alimento e como combinar-lhes. A desnutrição contribui para a destruição do capital humano de uma nação".

Índices

Estudos dão conta que uma criança desnutrida tem menor capacidade de aprender e menor capacidade de participar no desenvolvimento económico durante a idade adulta. Segundo dados oficiais, a desnutrição é causa de 35% de mortes em crianças menores de cinco anos na Guiné-Bissau.

A prevalência de desnutrição aguda é de 6% a nível nacional, enquanto a da desnutrição crónica que afeta mais a população rural é de 27 pontos percentuais. Indicadores mais alarmantes são das regiões de Gabu, Bafatá e Oio.

Conosaga/Amatijane Candé, de Bissau para a ONU News.