terça-feira, 25 de julho de 2017

GÂMBIA: GOVERNO EXUMA CORPOS DE PESSOAS DESAPARECIDAS SOB GOVERNO DE JAMMEH


Banjul - Os corpos de pessoas dadas como desaparecidas durante o governo do ex-presidente Yahya Jammeh serão exumados tão logo as investigações sobre estes casos sejam concluídas, anunciou segunda-feira o ministro gambiano do Interior, Mai Fatty.

Ainda não acabamos com a exumação dos corpos. Precisamos da vossa ajuda para encontrarmos provas enquanto o inquérito prossegue. Temos então um longo caminho a percorrer", indicou Fatty no fim-de-semana durante uma conferência organizada pelas vítimas da violação dos direitos humanos do antigo governo.

"Não se trata de exumar apenas um corpo, mas um inquérito claro deve ser realizado. É preciso recorrer-se ao Tribunal, o que necessita de provas tangíveis. É a razão pela qual o processo está muito lento. Criamos uma comissão graças ao qual conseguimos descobrir alguns túmulos. Ainda não está tudo concluído. Restam vários corpos por exumar", sublinhou.

O governante defendeu que o seu pelouro continua "concentrado" e que os crimes não continuarão "impunes".

"Vamos investigar estas violações dos direitos humanos e haverá consequências", garantiu o ministro do Interior.

Sob o lema "Reflectir sobre a Tirania, Celebrar a Liberdade", associações de defesa dos direitos humanos das vítimas criticaram veementemente o balanço do reinado do ex-presidente Jammeh sobre esta matéria.

Conosaba/angop

MERKEL: MAIS INVESTIMENTOS EM ÁFRICA PARA REFREAR MIGRAÇÕES

Sob o lema “Associação G20 África-Investindo num futur comum”, a chanceler alemã reúne, ao longo de dois dias, em Berlim, vários líderes africanos. Esta segunda-feira, Angela Merkel, reforçou a importância de alianças que permitam impulsionar o investimento privado, o crescimento económico e assim refrear os fluxos migratórios para a Europa.

Para a chanceler, é preciso ir mais além das tradicionais ajudas ao desenvolvimento.

“Se a falta de esperança é tão grande em África está claro que haverá jovens que acreditarão que devem procurar uma vida nova em outra parte do mundo. Se trabalharmos juntos para ajudar os vossos países também criamos mais segurança e podemos colocar um ponto final na atividade de pessoas que se aproveitam para lucrar de maneira ilegal com o destino dos outros”, disse Merkel aos líderes africanos.

No encontro, a chanceler alemã referiu que vários líderes africanos se queixaram de não receber ajuda militar para combater os grupos militantes de ideologia radical. Um argumento que serviu de base para Merkel afirmar que o desenvolvimento só acontece onde a segurança está garantida. Nesta linha, a chanceler desafiou as 20 economias mais industrializadas a ter maior abertura na transferência de armamento para os países africanos como parte do pacote de ajuda.

A conferência G20 África junta líderes africanos, banqueiros e investidores ocidentais. Em comunicado, o ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, sublinhou que se oferece aos países africanos “uma plataforma para entrarem em contacto com os investidores e aumentar a participação do setor privado em África.”

A proposta alemã foi apresentada no quadro da presidência rotativa do G20, exercida pelo país, e conta com o apoio do Banco Mundial, do Fundo Monetário Internacional e do Banco Africano de Desenvolvimento. No encontro desta segunda-feira estiveram presentes os presidentes do Egito, Costa do Marfim, Gana, Ruanda, Senegal, Tunísia e Guiné Conacri.

Conosaba/pt.euronews.

TUMULTOS ARROLADOS EM MANSABÁ VISAM DIVIDIR SEUS FILHOS-Associação


Associação de Filhos e Amigos do Sector de Mansabá dá tolerância zero aos actos de vandalismo na zona.

Em nota de imprensa a que Notabanca teve acesso hoje, 25 de julho em Bissau, a organização condena e atribui total responsabilidade dos tumultos no último domingo em Mansabá aos seus autores. 

Segundo a nota, tudo visa promover um clima de divisão entre os filhos e amigos do Sector.

No documento, a Associação exorta ao poder tradicional e religiosa a absterem-se dos assuntos políticos, apelando aos jovens para assumirem as suas responsabilidades.

Ainda, em nota de imprensa, a organização apela a consciência de cada um dos filhos do Sector de Mansabá para se comportarem com dignidade em torno da realização de eventos na zona.

“Exorta também as autoridades competentes a realização de um inquérito para apurar as responsabilidades”, remata a nota.

Conosaba/Notabanca


PMA APONTA RESPOSTAS A SITUAÇÕES DE INSEGURANÇA ALIMENTAR NA GUINÉ-BISSAU


Agregados familiares inquiridos no último estudo em maio ressalvam melhorias na insegurança alimentar na zona rural; agências da ONU prestaram apoio na montagem do instrumento de inquérito; sistema avalia abundância e escassez em períodos antes e subsequentes a colheitas.

A insegurança alimentar diminuiu significativamente na zona rural da Guiné-Bissau desde maio, segundo um inquérito do Programa Mundial de Alimentação, PMA. O estudo de seguimento da segurança alimentar e nutricional foi realizado no âmbito da metodologia de recolha de informações denominado Sissan.

Ouro Negro

O inquérito concluiu que 17 por cento da população inquirida está em situação de insegurança alimentar contra os 29 do último inquérito realizado em dezembro. Responsável pelo seguimento e avaliação das vulnerabilidades em segurança alimentar do PMA, Lucy Monteiro falou à ONU News sobre o estudo.

Segundo ela, a melhoria deve-se em grande parte à boa colheita da castanha de caju, principal produto de exportação do país.

"Observamos que a situação melhorou, o inquérito faz se junto aos agregados familiares. É entrevistar o chefe do agregado que responde uma série de perguntas que tem a ver com o seu estado de consumo alimentar. No consumo alimentar analisamos a diversidade e a frequência, também questionamos sobre as fontes de rendimento do agregado familiar".

Resposta rápida

As questões incluem estratégias que o agregado usou no mês anterior ao inquérito para fazer face as dificuldades em garantir a segurança alimentar, acrescentou Lucy Monteiro. Para a responsável perspetivas apontam para o alargamento do inquérito nas zonas urbanas do país no próximo ano.

Lucy Monteiro ressaltou os dois momentos em que o inquérito é feito durante o ano.

"Momento de escassez e momento de abundância. No mês de maio quando foi feito o inquérito era o momento de colheita da castanha de caju, nesse momento os agregados familiares têm mais rendimento e têm mais acesso a alimentação. Fazemos esse inquérito em período de escassez, o momento pós colheita nos meses de setembro e outubro".

Os resultados do inquérito permitem produzir um boletim que se submete aos diferentes atores para a concepção da resposta em função da situação.

O Instrumento de inquérito foi montado graças ao apoio do Programa Mundial de Alimentação, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, União Europeia e está a ser tutelado pelo ministério guineense da agricultura.

Conosaba/Amatijane Candé, de Bissau para a ONU News.

PRESIDENTE DA COMISSÃO DA ONU PARA A CONSOLIDAÇÃO DA PAZ NA GUINÉ-BISSAU PARA CONTACTOS


O presidente da configuração Guiné-Bissau da Comissão da ONU para a Consolidação da Paz, Mauro Vieira, chega hoje a Bissau para encontros com as autoridades, sociedade civil e líderes políticos, disse fonte das Nações Unidas.

Segundo a mesma fonte, a vista, que vai decorrer entre quarta e quinta-feira, vista mostrar o empenho da comissão em apoiar a implementação do roteiro da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental e também apoiar a mobilização e coordenação da ajuda internacional.

A Guiné-Bissau foi colocada na agenda da comissão em dezembro de 2007, na sequência do apoio do Conselho de Segurança da ONU ao pedido feito pelas autoridades guineenses.

Atual representante do Brasil junto das Nações Unidas, o embaixador Mauro Vieira foi ministro dos Negócios Estrangeiros brasileiro entre janeiro de 2015 e maio de 2016.

O atual Governo da Guiné-Bissau, de iniciativa presidencial, não tem o apoio do partido que ganhou as eleições com maioria absoluta e este impasse político tem levado vários países e instituições internacionais a apelarem a um consenso.

Conosaba/Lusa

segunda-feira, 24 de julho de 2017

UTENTES REVOLTADOS COM A HIGIENE E FUNCIONAMENTO DO TERMINAL DE TRANSPORTES DE BISSAU


Em dois meses de chuva, a situação higiénica agravou-se com águas paradas e lixo amontoado.

A situação higiénica e de funcionamento do principal terminal de transportes mistos de Bissau está a suscitar revolta por parte dos utentes, que queixam-se de más condições de saneamento.

Trata-se do principal terminal de transporte terrestre de passageiros da capital guineense e é o ponto de ligação com todas as regiões do interior do país.

Em dois meses de chuva, a situação higiénica agravou-se com águas paradas e lixo amontoado. A comida é preparada nesse ambiente de precária salubridade

O pessoal da entidade camarária, responsável pela manutenção e garantia de condições higiénicas no local, não quis comentar sobre o assunto.

Conosaba/Voa

«AVIAÇÃO CIVIL» EMPRESA DISTRIBUI FARDAMENTOS AOS FUNCIONÁRIOS


Bissau, 24 Jul 17 (ANG) – Os funcionários dos Serviços de Assistência Aeroportuária (SAA) dispõem agora de uniformes próprios, adquiridos pela Administração da Empresa.

A cerimónia de entrega dos fardamentos teve lugar quinta-feira passada e contou com a presença massiva dos funcionários da “casa” e os responsáveis administrativos da SAA.

Tratam-se dos trabalhadores dos departamentos de Check-In, Lost&Found, Rampa e Placa, Bagageiros e Load Control que receberam novas indumentarias e certificados de mérito atribuídos pela direcção em reconhecimento dos seus esforços.

Na ocasião, o administrador da SAA explicou que o gesto se enquadra num conjunto de iniciativas em curso visando cumprir objectivos previamente traçados aquando da assunção do cargo, ou seja, a dinamização e modernização dos SAA.

Dentre os objectivos preconizados, Fode Darame apontou a sistematização dos check-in e loas&found, reabilitação do hangar, terminal de cargas aéreas e melhoria de condições de trabalho e de segurança.

O Administrador da SAA disse que desta forma e munidos de recursos humanos a altura, os clientes e passageiros serão melhor servidos à semelhança do que acontece em outros aeroportos da África e do Mundo.

Darame disse que a prioridade da sua direcção são os homens que labutam dia e noite nos SAA, por isso, concebeu e está a implementar um projecto de formação e reciclagem dos recursos humanos.

“Neste sentido, muitos dos funcionários já beneficiara de acções de formações em alguns países da sub-região, fruto da excelente cooperação existente entre os respectivos serviços”, explicou Fodé Darame que citou Senegal e Gâmbia, bem como Portugal, como alguns destes países.

O presidente do Sindicato de Base local dos trabalhadores Bernal Nbana qualificou o gesto de “nobre” para o engrandecimento da nova administração e afirmou que a mesma esta a evoluir de forma positiva pelo que prometeu a colaboração total do sindicato. 

Conosaba/ANG/JAM/SG